Pesquisar este blog

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Uma História do Jazz



Por Angelo Medeiros Silva
O jazz é um estilo musical criado no meio da cultura negra americana, como todos sabem nos Estados Unidos houve a escravização negra como mão de obra, e a partir desses negros que vinham de várias partes da África eles traziam consigo toda uma bagagem cultural que eles receberam quando estavam em seu território. O que acontece na América é a fusão dessa bagagem cultural africana com a européia que era a vigente nesse momento na América.
Os negros como nós já sabemos, não eram permitidos a liberdade de expressão ou qualquer forma que demonstrassem ligar a religião e a cultura africana em geral assim serem mais bem manipulados pelos colonos americanos.
Como vimos o negro era severamente punido sobre qualquer ato que fizesse contrário ao de seus senhores, o que lhes restavam para contar sobre a sua realidade era entoar palavras sobre o seu dia adia nos campos em que eram forçados a trabalhar. Com isso nasce primeira manifestação cultural afro-americana, ele tem um poder muito grande entre os negros, pois essa é uma arte que não pode ser roubada ou destruída ela é passada de boca em boca com canções sobre o sofrimento que eles passavam nesse período em que eram escravos e o que eles gostariam de se tornar, homens livres que pudessem voltar para sua terra natal e realizar suas vontades, um desejo de liberdade que rompia fronteiras com essas canções que eram passadas em geração e geração.
O que agente vê é que no fim do século XIX e princípio do XX a cultura negra crescia vertiginosamente nos Estados Unidos, claro sempre houve por parte dos brancos uma repressão no uso de técnicas e formas que remetessem a África que deveriam ser extintas no território africano, no caso da música não eram permitido o uso de instrumentos africanos, o que os negros podiam era usar instrumentos europeus que o influenciaram também, não como forma de desagregar as os elementos africanos, mas adicionar, ou melhor, transformar os componentes europeus em africanos para assim transformar essa cultura afro-americana que estava nascendo e que se tornaria no século vinte uma das formas musicais mais conhecidas, está praticamente em todos os continentes e é claro cada local com suas características que adicionam cada vez mais esse gênero musical tão grande e majestoso que ele é, e que por muito tempo oi marginalizado por uma elite intelectual.

Jazz e Blues
Não é possível falar do jazz sem primeiro falar sobre o blues. O blues é como o princípio para se tornar um músico de jazz, ele da à base para um cantor ou instrumentista para tocar jazz.
Como todos sabem o blues nasce em no sul dos Estados Unidos onde teve uma maior escravização de negros vindo da áfrica. E foi a partir desse contexto de escravização que nasce o blues, que é uma música que veio dos “spirituals” que era formado por cantores sendo ou solistas ou em coro, isso ocorria principalmente em atividades religiosas que os negros faziam que não deixava de ser uma forma de resgate de suas origens.
O blues que nasce desses “spirituals” é uma música muito melancólica que fala de um contexto de vida altamente dura em que esses negros tinham, mas de uma forma bem humorada, isso quer dizer eles tiravam desses momentos ruins uma forma de se expressar de que eles ainda estavam vivos e que eles eram uma voz a ser ouvida. Geralmente o blues era cantado, principalmente por mulheres que tinham vozes poderosas e que tinham uma capacidade de interpretação dessa realidade muito forte entre eles, mas o blues também podia ser só instrumental, como já foi dito antes muito do material (instrumentos) era de origem européia que foi adaptado para os fins dessa música negra, geralmente o piano era muito usado pela sua versatilidade de acompanhamento e melodia que podia fazer, os sopros eram muito comuns, mas claro muito recatados, pois muitos desses músicos ainda não tinham o conhecimento técnico desse material que vinha de um contexto diferente do deles e que foi adaptado para se tornar uma peça fundamental para essa música que era criada.
O blues tinha um caráter muito forte para os negros americanos pios refletia a realidade deles, era isso o que eles pensavam sobre a sua realidade, que era no fim do século XIX e começo do XX a de fim da escravidão um recomeço para essas figuras que não faziam parte da cultura americana, eram em geral marginalizados, o blues que conhecemos hoje era uma música de marginal negro, era para ser esquecida não deveria fazer parte da cultura dos norte-americanos.
Mas como o jazz se multiplicou e conquistou o mundo com seu ritmo sincopado, suas repetições suas frases e escalas. É bom salientar que tudo que nasce de uma cultura não vem do nada há uma bagagem que vem desde a infância e que é passado de geração em geração para que ocorra essa quebra estilística, no caso dos negros são ritmos e escalas vindos de seus antepassados que aflora mais tarde em seus descendentes.
Só para uma compreensão mais técnica do blues, em geral essa música é feita a partir de ritmos bem quebrados, isso significa de não natural para os não iniciados a música, eles usam muito o ritmo como frases que tem um significante. As melodias nascem de uma escala que era usada pelos chineses há tempos imemoriais que é a “pentatônica”, que é uma escala que usa cinco notas da escala diatônica (do, re, mi, fá, sol, La, si, do), ao invés de usar a escala diatônica ela retiram o trítono que ocorre nela tirando o fá e o si dando assim a característica a essa escala que é chamada “pentatônica” o que ocorre blues é que os negros além de usarem essa escala eles colocam notas que não fazem parte dessa escala assim dando a característica exata que nos fazem diferenciar um blues de um jazz, que mais a frente será explicado.
O blues nos serviu para entendermos melhor as transformações da música afro-americana até chegarmos ao que é agora o nosso foco.
Jazz
Jazz como já foi dito antes o jazz é feito a partir de transformações dessa música negra que nasceu nos Estados Unidos e que foi se modificando ao longo do tempo.
A palavra jazz tem uma conotação diferente para a época do que é hoje, antigamente quando se falava em jazz era com uma conotação sexual, envolvia os corpos por isso o jazz quando nasce tem uma característica de ser feito para a movimentação do corpo, não algo só para ser visto, o público que ia assistir uma apresentação dessa música era um público que ia para dançar não só olhar os músicos tocarem o jazz tinha outra conotação, que era a de uma festa dançante em que as pessoas se reuniam para beber e dançar sem as preocupações do dia-a-dia. A despreocupação era o que levava essas pessoas até esses clubes que estavam se formando para esse fim, músicos contratados para animar essas festas que podiam durar a noite toda até o alvorecer que era muito comum na época. Essa é também uma característica marcante do Jazz a criação de clubes e bares que faziam as apresentações desses grupos que deveriam animar essa multidão que estava sedenta por uma música que balançasse o corpo do público estava esperando por isso.
O jazz foi muito prolífero no inicio do século xx com músicos cada vez mais especializados em seus instrumentos o que trazia um brilho ainda maior para as músicas que eram executadas nesses bares. O grande problema para esses músicos é que depois de um tempo eles se cansavam de tocar as mesmas músicas no mesmo bar, então era comum um músico passar por várias bandas, era difícil se manter num lugar por muito tempo principalmente pelo fator de buscar uma identidade e que era difícil ficar em uma banda se não era esse o objetivo dele.
O desenvolvimento das bandas foi um fator muito forte para a manutenção desse gênero musical, as orquestras foram desenvolvidas instrumentos novos foram colocados nas big bands que eram cada vez maiores e com um poder musical cada vez maior, um parede sonora que conseguia levantar as pessoal até o delírio. O improviso uma característica muito comum hoje em dia foi desenvolvido nessa época, não por causa do público ou dos bares que em geral eram contra essa prática, mas sim após os shows nesses bares eles iam fazer uma “Jamming” entre, é ai que são desenvolvidas as melodia técnicas, é nessa hora em que os músicos se desafiam a fazer um solo mais expressivo que mostrasse sua capacidade técnica e expressiva, o pensamento rápido era fundamental e claro um whisky para da uma aliviada nos sentidos, claro um música dessa época de bares gastava de duas coisas além da música que eram mulheres e o velho whisky, fazia parte do mundo do jazz a bebida e mulheres. Era a partir dessas jammings que se desenvolvia essas técnicas e melodias a partir disso é que se vem outras vertentes do jazz que são o swing, bebop, fusion e etc. A partir desse seção de quem ver quem era melhor no improviso que nasce essas outras formas musicais, assim a sua complexidade também, a forma de se escrever música foi se modificando, a dissonância se torna um traço muito comum nessa música e se passa a valorizar os solo dos instrumentistas faziam a partir de standarts, que eram uma música pré-fabricada que eles usavam para inventar seus solos a partir dela.
O Jazz teve um papel muito importante não co localmente, mas mundialmente falando ele modificou até a música erudita influenciando mesmo indiretamente músicos ditos eruditos como Debussy, schoenberg e entre outros, que usavam de técnicas ou saltos um,sicais característicos do jazz. O jazz passa de uma música população para uma música para intelectuais, isso nos indica uma inversão do fator social da música que antes era para os negros e pobres, passam a ter um novo significante para esse “intelectuais” que buscam agora essa música. O jazz passa de ser uma música de massa para ser uma música para poucos ela passa a ser uma música comercial, há agora por traz dessas big bands uma industria para se vender discos lucrar sobre essa expressão social, que vinha da população e que agora passava para uma forma capitalista mesmo contra a vontade dos música, há nas décadas posteriores do sé XX uma corrente “intelectual” negra contra essa intelectualização do jazz querendo assim trazer de voltar o caráter popular de que era uma música que se referia as realidades da população não uma música estudada mas uma que era totalmente livre de regras que deviam ser livres, a única regra era que você era livre para fazer o que quiser, o músico tinha liberdade de fazer o que bem lhe quisesse sobre a música que ele fosse fazer.
Falando agora sobre a música em sim o jazz é feito a partir de standarts que tem uma harmonia e uma melodia já feitas e que o músico deve seguir só como um guia do que todos devam fazer quando estão tocando a partir disso o músico é livre para improvisar o que Le bem convir. Em geral as harmonias são bem simples em geral são feito por cadências conclusivas que remetem a facilitar aos músicos saber onde começam e terminam as frases e assim facilitar o solo, mas é obvio isso pode não acontecer muitos dos jazzes modernos principalmente o jazz moderno isso não ocorre, são em geral cadências inconclusivas que cabe ai solista a fazer ser conclusiva ou não dando assim maior possibilidade de improviso, um freejazz por assim dizer. A grande magia por traz do jazz é essa a de uma pessoa conseguir pensar instantaneamente frases que cabem dentro se uma música sem que ele a prepare antes de executar, claro isso só vem com o tempo e com a capacidade do músico para apensar nessas frases em tão curto espaço de tempo.
O Jazz teve uma força tão grande entre as populações dos vários continentes que essas harmonias vieram para os diversos lugares do mundo e claro a América latina foi um deles, Cuba, Brasil, Argentina e entre tantos outro foram influenciados pelo jazz e que também influenciaram o jazz.
No Brasil o Jazz influenciou a nossa música, nada mais nada menos a bossa nova foi influenciada por essa música vinda de fora do Brasil, trazendo sua dissonância para o nosso samba assim transformando modernizando as nossa harmonias, mudando o jeito de ser fazer música no Brasil, mas sem perder a sua identidade brasileira.
A Argentina também foi influenciada pelo jazz, o seu tango foi também modernizado foi criada uma nova linguagem de jazz com tango que fez uma nova quebra estilística, musicalmente falando, em um país longínquo.
Cuba, também foi transformada pelo jazz, a sua salsa e outros ritmos caribenhos também foram modificados a partir do jazz que cresceu e rompeu barreiras culturais e geográficas.
O jazz norte-americano também foi influenciado pelos seus influenciados, as percussões cubanas se tronaram comuns nas big bands, a transformações de sambas de Tom Jobim em standarts e várias outras regiões do mundo isso ocorre, isso mostra o caráter social que conseguiu atingir várias partes do mundo. As manifestações negras, problemas que eles questionavam desde a sua época de escravos até hoje atingiram o mundo com essa música altamente refinada e que influenciou e é influenciado por todos que adicionam cada vez mais essa cultura negra m várias localidade do mundo.